O governo da Família monástica de Belém

A Família monástica de Belém é composta por dois ramos : O ramo das monjas tem hoje 550 irmãs distribuídas por 29 mosteiros em 15 países. O ramo dos monges tem 35 irmãos em 3 mosteiros em 3 países.

Os dois ramos, dos monges e das monjas, têm um governo independente.

Para o ramo das monjas: a 22 de Fevereiro de 2017, a irmã Emmanuel foi nomeada prioresa geral das monjas de Belém pelo Dicastério para a Vida Consagrada. Neste serviço é ajudada por um conselho permanente de 6 irmãs igualmente nomeadas pelo mesmo Dicastério. Participam ainda neste conselho dois assistentes apostólicos, também eles nomeados pelo Dicastério: o padre Jean Quris e a Madre Geneviève Barrière, osb. O conselho permanente reune-se habitualmente uma vez por mês no mínimo.
São membros do Conselho Permanente actual: Irmã Amena, irmã Beata, irmã Marta, irmã Paola, irmã Laure-Marie e irmã Mia.

✶ ✶ ✶

A prioresa local assume o serviço da autoridade no mosteiro que lhe é confiado. É eleita pela sua comunidade por três anos e pode ser confirmada no cargo pelo capítulo geral de três em três anos. A duração dos mandatos será definida nas próximas constituições. A prioresa é ajudada no seu serviço por duas irmãs vicárias. Juntas formam a «tríade».


A comunidade elege duas monjas-conselheiras que formam com a tríade o conselho local.
Juntas, prioresa e conselheiras, se colocam à escuta do Espírito Santo para promover a fidelidade evangélica da comunidade na vida de solidão e de comunhão fraterna. Compete ao conselho preparar as reuniões do capítulo do mosteiro e deliberar sobre as questões económicas e materiais do mosteiro, como por exemplo aprovar o orçamento previsto para o ano.


O capítulo do mosteiro, composto por todas as irmãs de votos perpétuos, reúne-se regularmente para discernir os apelos do Espírito Santo para a comunidade e para decidir sobre as modalidades da sua encarnação concreta na vida quotidiana. As capitulares expressam-se no momento da admissão à profissão temporária e perpétua das suas irmãs. Entre outras coisas, cabe ao capítulo local propor o modo de viver a pobreza da comunidade, tendo em conta as escolhas feitas pelo Capítulo Geral.


A prioresa local e seu conselho estão em estreito contato com a Prioresa Geral e o seu Conselho Permanente.


Está previsto um Capítulo geral com delegadas para 2021. Nele serão votadas as novas Constituições e proceder-se-à à eleição da Prioresa Geral e do seu Conselho Permanente.

✶ ✶ ✶

O ramo dos monges da Família de Belém tem um governo do mesmo tipo que o das monjas, mas com algumas diferenças, ligadas em parte ao menor número de irmãos e mosteiros.


No Capítulo Geral dos Irmãos em Outubro de 2018, foi redigido e aprovado o texto sobre o governo das novas Constituições. A Congregação para os Religiosos permitiu implementá-lo «ad experimentum», até a aprovação do conjunto dos textos das novas Constituições ainda em elaboração.


Nesta mesma assembleia, composta por todos os irmãos professos perpétuos, o Irmão Jean- Batiste foi eleito para um mandato de três anos a fim de assegurar o serviço de prior geral, com base no novo texto. É coadjuvado por um conselho de quatro irmãos, também eleitos por três anos pelo Capítulo geral.


Desde 2017, o padre Cesare Falletti, cisterciense, fundador e antigo prior do mosteiro Pra’d Mill, foi nomeado assistente apostólico da comunidade dos monges. A sua missão é assessorar os irmãos no governo da comunidade e também acompanhar especialmente o trabalho de redacção das novas Constituições.


Ao serviço da comunhão de monges e monjas, os dois priores gerais, assistidos pelos respectivos conselhos, formam um «Conselho de Família», cuja função é puramente consultiva. Este Conselho de Família reúne-se várias vezes por ano para discutir questões que dizem respeito à vida dos nossos mosteiros e à fidelidade ao carisma comum a irmãos e irmãs.